POR TIAGO MENEZES

A Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJRN) negou o pedido feito pela defesa de Antônio Ribeiro e sua namorada, Renata Borsatto, para reformar a decisão que decretou a prisão do casal. Ambos são acusados de planejar a morte do marido de Renata, o empresário Ademar Miranda Neto, em 7 de junho de 2016.

Segundo argumentou a defesa, a prisão não tem fundamentação válida e não se justificaria, já que os réus não teriam como interferir nas investigações. Porém, para os desembargadores, existem indícios “significativos” da participação de Antônio e Renata no crime, e a prisão cautelar é necessária até que o homicídio seja elucidado.

Ademar Miranda Neto foi morto enquanto dirigia na avenida Engenheiro Roberto Freire, zona sul de Natal. Dois homens em uma moto se aproximaram e dispararam várias vezes contra ele.

Durante as investigações, a polícia afirmou que ligações telefônicas e mensagens trocadas pelo WhatsApp indicam a participação de Renata Borsatto e Antônio Ribeiro no assassinato. Além disso, imagens gravadas por câmeras de segurança mostram Antônio na cena do crime.

Antônio Ribeiro de Andrade Neto é filho do ex-prefeito de Ielmo Marinho e ex-deputado estadual Tarcísio Ribeiro, e da ex-prefeita Esther Câmara. Além de irmão do ex-vereador Tarcísio Ribeiro Júnior. No ano passado, foi candidato a vereador pelo Solidariedade, mas acabou derrotado nas urnas. Recentemente foi transferido para o presídio de Alcaçuz.

Uma resposta para “TJRN nega pedido de liberdade e Antônio Ribeiro continuará em Alcaçuz”

  1. Ramon disse:

    António ja estudamos juntos na faculdade, no curso de direito. Afastou se cedo…….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*